Ir para o conteúdo principal

Justiça é feita para a tripulação da Ryanair na Holanda

04 Oct 2019
Um tribunal holandês decidiu que a Ryanair deve compensar os trabalhadores demitidos por causa do fechamento de sua base no Aeroporto de Eindhoven no ano passado.

Em outubro passado, a Ryanair anunciou o fechamento de sua base de Eindhoven, citando o impacto da greve ao longo do verão. ITF, ETF e os afiliados de cada federação – incluindo o FNV, o sindicato representando a tripulação de cabine na Holanda – condenaram o gesto como sendo um ataque aos direitos fundamentais dos trabalhadores.

Em março deste ano, a autoridade trabalhista holandesa (UWV) afirmou a posição dos sindicatos ao decidir que a Ryanair não tem base legal para demitir 16 pilotos e 15 tripulantes de cabine afetados pelo fechamento. Em vez disso, a linha aérea foi obrigada a continuar pagando os trabalhadores até uma decisão da Justiça determinar um pacote de indenização.

O desfecho do caso significa que todos os trabalhadores que se recusaram a serem transferidos a outra base serão indenizados conforme a legislação trabalhista nacional. Aqueles que permaneceram como parte da disputa até o seu desfecho também receberão a íntegra de seus salários retroativamente até o fechamento da base, mais seis meses adicionais de salários como medida compensatória.

ITF e ETF continuam apoiando uma rede de sindicatos afiliados representando os trabalhadores da Ryanair, reivindicando que a linha aérea adote relações trabalhistas maduras em todos os países onde opera.
 

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.