Ir para o conteúdo principal

ITF fala por profissionais marítimos do mundo todo na Associação Internacional de Universidades Marítimas

09 Jan 2020
Crédito da foto: IAMU

A ITF representou a visão dos profissionais marítimos do mundo todo na 20ª assembleia geral da Associação Internacional de Universidades Marítimas (IAMU) em Tóquio, no Japão, que se deu de 30 de outubro a 2 de novembro de 2019.

O evento teve o comparecimento de 180 especialistas de universidades marítimas e especialistas da indústria de 27 países.

O professor Takeshi Nakazawa, diretor executivo da IAMU, expressou a visão de que o desenvolvimento dos navios marítimos de superfície autônomos (MASS) e a automação podem superar o fator humano. Ele disse que a educação e o treinamento marítimos (MET) devem mudar a fim de se estar à altura desse desafio.

Além disso, o professor Nakazawa disse que é preciso que se dê uma atenção mais próxima à forma como o mercado de trabalho será influenciado pela implementação de tecnologias avançadas, tais como a tecnologia digital, os robôs, a inteligência artificial e os MASS.

O especialista em OMI do comitê de segurança marítima da ITF, o professor Sergey Aysinov, juntou-se à mesa redonda ‘Há futuro para os marítimos com a chegada dos Navios Marítimos Autônomos de Superfície (MASS)’.

O professor Aysinov assinalou que:

  • O crescimento do PIB levará ao aumento do desenvolvimento e da demanda por navegação
  • A visão otimista de um fabricante é que em 2040, 14 por cento da frota mundial terá algum tipo de MASS a bordo
  • Os custos totais durante o tempo de vida de um navio variam de setor para setor, no entanto, como regra geral há um:
    • 40 por cento de custos de capital
    • 40 por cento de custos de combustível
    • 20 por cento de custos operacionais (25 por cento dos quais são custos com tripulação)
    • O custo com tripulação vai de 3 a 6 por cento do custo total do navio em seu tempo de vida útil
  • O MASS é uma continuação da automação da indústria que tende a resultar em redução do número de tripulantes, daí que a qualidade dos profissionais marítimos seja importante
  • Os oficiais de nível de gerência precisarão se atualizar
  • Uma parte da manutenção de equipamento tende a ser transformada de manutenção feita a bordo para manutenção feita na costa ou de maneira remota
  • Oficiais de convés e de máquinas precisarão de educação adicional semelhante à dos oficiais da eletrotécnica

O painel também abordou os importantes problemas seguintes:

  • Em 2020, a Convenção Internacional sobre Padrões de Treinamento, Certificação e Serviços de Quartos para Marítimos (STCW) de 1978, conforme emenda, será aberta para revisão. Antevendo a provável redução das demandas de mercado por cadetes e mestrança, a discussão revisada deveria garantir uma robusta prática de navegação para os cadetes. Haverá um estudo sobre a praticidade do treinamento de cadetes a ser apresentado à OMI em 2020
  • Uma publicação recente sobre as habilidades necessárias ou esperadas dos profissionais marítimos foi apresentada, Profissional Marítimo Global: Corpo de Conhecimento .

Os pontos de vista e posicionamentos da ITF receberam apoio do painel, bem como da plateia. Independentemente de como as tecnologias possam causar alterações nas carreiras dos trabalhadores marítimos, o conhecimento, a capacidade, a competência, a experiência e a especialização dos marítimos, no que tiverem de autênticos, serão valorizados. Nesse sentido, educação e treinamento são uma parte essencial do elemento marítimo humano.

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.