Ir para o conteúdo principal

Tráfico humano

Exploração na indústria de turismo e viagens

O tráfico humano é a terceira maior prática comercial ilícita em nosso planeta após o tráfico de drogas e armamentos. Constitui a versão moderna de escravidão — e férias e viagens de baixo custo estão patrocinando isso.

O que significa tráfico humano?

O tráfico humano se estabelece quando as pessoas são exploradas, seja para o trabalho escravo ou para o sexo. Frequentemente enganadas ou ameaçadas, são forçadas a pagar débitos injustificados ou a trabalhar de graça Uma definição comumente aceita é a elaborada pela Convenção da ONU de Palermo:

O recrutamento, transporte, transferência, abrigo ou receptivo de pessoas, mediante ameaça ou uso de força ou outra forma de coerção, abdução, fraude, ludibriação, uso abusivo de poder ou de posição de vulnerabilidade, ou ainda o recebimento ou pagamento de remuneração ou benefícios para obter o consentimento de uma pessoa ou para ter controle sobre outra para os fins de exploração. A exploração incluirá ao menos a exploração da prostituição de outras pessoas sob qualquer forma de exploração sexual, trabalhos ou serviços forçados ou práticas semelhantes à escravidão, servidão ou remoção de orgãos.

Como as férias de baixo custo estimulam o tráfico?

A exploração frequentemente ocorre nos destinos turísticos. Os hotéis permitem acesso anônimo e público, o que os torna locais de possível prostituição e as referidas práticas ilícitas.

Os funcionários devem ser treinados a identificar vítimas de tráfico e a denunciar tal prática às autoridades — alguns hotéis e empresas aéreas já fazem isso.

Naturalmente, o corte de custos de viagem e de transporte implica em treinamento de pior qualidade, pois os que trabalham em viagens mais baratas não recebem treinamento para cooperar com as autoridades e proteger os mais vulneráveis.

Funcionários de hotéis também estão sujeitos a abuso de seus direitos humanos e trabalhistas

Funcionários de hotéis também são vulneráveis, pois:

  • o turismo é uma indústria sazonal, o que acarreta recrutamento de última hora com pouco respeito ao bem estar social desses trabalhadores
  • a redução de custos pode acarretar o uso de trabalhadores menos qualificados, que são mais vulneráveis
  • trabalhadores terceirizados ou de agências não passam pelos processos e verificação que garantem seus direitos e remuneração, como ocorre em negociações coletivas

Os sindicatos podem fazer uma grande diferença

O turismo deveria ser uma indústria atraente para trabalhadores, com boas perspectivas de carreira. A terceirização, subcontratação e contratação sazonal prejudicam o turismo profissional e sustentável ao reduzir a remuneração e o treinamento. 

Os hotéis começam agora a compreender sua responsabilidade em combater o tráfico. Infelizmente, quando os lucros são priorizados em detrimento do bem estar dos trabalhadores, alguns hotéis de mais baixa qualificação não cumprem suas obrigações.

Empregadores em turismo devem zelar pelo bem estar de seus funcionários - no local de trabalho e fora dele. Devem procurar operadoras responsáveis e oferecer remuneração que reflita o custo real de gerenciar um negócio de turismo responsável, o qual deve incluir treinamento e retenção de pessoal.

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.