Ir para o conteúdo principal

Automação de navios

Leia sobre o trabalho da ITF na OMI e em outros foros sobre automação de navios.

Definições

Ao discutir automação, existe a necessidade de fazer a distinção entre navios autônomos e navios sem tripulação/controlados remotamente.

Navios autônomos utilizam automação para suplementar ou apoiar a tomada de decisão a bordo ou gerenciar tarefas rotineiras e repetitivas.

Navios não tripulados/controlados remotamente utilizam automação para permitir que operadores em terra monitorem ou controlem funções a bordo.

Afirmações gerais

  1. Uma preocupação importante não é somente a do nível de automação, mas a da interface do elemento humano com essa automação, sendo necessário encontrar um equilíbrio entre os sistemas autônomos e a responsabilidade e o controle humano na gestão desses sistemas autônomos.
  2. Navios não tripulados/remotamente controlados dependerão de sistemas complexos e interdependentes, havendo sistemas de comunicação e troca digital de dados fazendo interface com múltiplos sistemas e sensores de navegação e engenharia autônoma presentes a bordo. A confiabilidade, robustez, integridade e segurança cibernética de tais sistemas trará desafios técnicos significativos.
  3. A automação continuará a evoluir com base na sua factibilidade econômica em certos ofícios, na aceitação do risco inerente a sistemas complexos, no desenvolvimento de um regime regulatório e nas políticas nacionais de segurança marítima.
  4. A automação continuará com a tendência de redução de pessoal a bordo. Contudo, acredita-se que embarcações fazendo comércio internacional continuarão a ter tripulação devido às convenções internacionais nesse sentido, num futuro próximo. Também se acredita que as mudanças na tripulação possam se dar mais rápido em águas domésticas, pelo menos em alguns casos.
  5. Mudanças nas tarefas e nos conjuntos de habilidades estão sendo atualmente avaliadas por instituições acadêmicas e empresas. As tarefas a bordo podem mudar e requerer um novo conjunto de habilidades e, portanto, novos regimes de treinamento.

Pressupostos

  1. O modelo de negócio e a idade da frota mundial atual sugerem que no futuro muitas decisões e ações poderão ser desempenhadas de maneira autônoma, com supervisão humana a bordo das embarcações. Decisões de alto impacto serão implementadas de forma a dar à tripulação a oportunidade de interceder e se sobrepor a elas. Novo monitoramento e nova capacidade de comunicação baseados na costa resultarão em mais tomadas de decisão e operações de navio feitas na costa.
  2. Membros da tripulação precisarão de habilidades alinhadas com competências em navegação, engenharia, eletricidade e eletrônica.
  3. Será preciso avaliar normas e convenções internacionais existentes para determinar se mudanças serão necessárias.
  4. A ITF continuará identificando ameaças e formulando ações estratégicas e operacionais. Isto lhe vai permitir comparecer a todas as reuniões de comitês e subcomitês na OMI com especialistas e representantes, a fim de garantir o bem estar e os direitos da gente do mar no futuro.

Ações

  1. Em 2016, a seção dos marítimos da ITF reconheceu a necessidade de focar em automação de navios, e estabeleceu o Grupo de Trabalho sobre Automação da Seção dos Marítimos (SSAWG). Em fevereiro de 2017, o Grupo começou o seu trabalho ativo com base nos termos de referência que haviam sido adotados pelo Comitê de Segurança Marítima da ITF (MSC).
  2. Em março de 2018, o SSAWG produziu um documento de posição, conforme explicado numa declaração de política, sobre automação de naviosque foi adotado pelo ITF MSC.
  3. Em março de 2018, o SSAWG produziu um policy statement was formulated.The policy statement was adopted as the ITF’s position on ship automation by the ITF seafarers’ section committee (SSC) in May 2018.
  4. ITF maritime safety committee steering group (MSCSG) has been:
  • establishing a media strategy with a consistent message to be used to promote the ITF position on automation
  • continuing information gathering on the costs of automated ships versus conventional ships
  • creating a vision message for ITF affiliates to ensure they are informed about the threat represented by automation
    to their membership, highlighting the likely international and national development of the proposed autonomous and unmanned/remotely controlled ships
  • creating realistic narratives to the industry
  • reviewing the current required tasks and skills and an evaluation of future skill sets, proposals will be submitted to the IMO during the STCW review in 2020.

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.