Ir para o conteúdo principal

Graneleiro alemão detido após tripulação queixar-se de falta de comida, tratamento hostil e recusa de licença para desembarcar

29 Mar 2019
Comunicado à imprensa
O graneleiro com registro da libéria "Anna-Elisabeth" foi detido pelas autoridades australianas após a tripulação internacional a bordo do graneleiro reclamar de comida insuficiente, tratamento hostil a bordo da embarcação e recusa de licença para desembarcar.

As queixas a bordo da embarcação com bandeira de conveniência, atracada no Terminal de Carvão do Porto de Kembla, foram recebidas pela Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) na segunda-feira, 25 de março, quando foram imediatamente tomadas providências a seu respeito mediante uma inspeção pela ITF que levou duas horas.

O coordenador nacional da ITF, Dean Summers, viu evidências das sérias preocupações da tripulação ao encontrar armazéns inadequados a bordo e ver que a tripulação não havia tido licença para desembarcar desde 23 de janeiro, na África do Sul.

"A carne e o peixe haviam queimado no congelador e os alimentos frescos eram muito poucos, certamente não suficientes para que 17 marítimos chegassem a Cingapura. Desconfiamos de que esta empresa esteja sob intense pressão financeira e procure economizar como for possível. O mestre confirmou que a ração de comida era de US$ 07,00 por dia para todos as refeições”, disse Summers.

A ITF também se surpreendeu ao ver que a empresa tinha uma nova categoria de tripulante em sua lista chamada de "Deck Rider", um profissional de convés, o que fez soar um alerta quanto às qualificações de toda a tripulação.

A ITF solicitou à Autoridade Australiana de Segurança Marítima (AMSA) para inspecionar a embarcação, citando as questões chave: licença para desembarcar, falta de mantimentos, tratamento hostil e preocupações quanto a pessoal em número minimamente seguro e qualificações da tripulação.

"Pedimos à AMSA para confirmar se a tripulação estava qualificada e segura de forma a conduzir o navio ao mar. Temos relatórios de que isto agora se tornou um grande problema para esta empresa”, disse Summers.

O navio não obteve da AMSA permissão para navegar na hora marcada, 06h00m de segunda feira, 25 de março, após a ITF ter feito soar o alarme. Fiscais do governo visitaram o navio na terça-feira, 26 de março, tendo sido feita uma inspeção detalhada ao longo do dia.

A embarcação foi oficialmente detida pela AMSA com base na Convenção do Trabalho Marítimo. Foi informado que o escritório de registro da Libéria estaria enviando um representante ao navio para trabalhar com o mestre e os proprietários pela retificação da longa lista de deficiências.

Os proprietários alemães, a Johann MK Blumenthal, são notoriamente contra os sindicatos e têm reputação de confronto.

"Estamos pedindo ao governo australiano que envie um alerta urgente ao mundo da navegação para os navios da Blumenthal serem auditados e detidos quando for constatada violação dos direitos humanos e/ou trabalhistas. Claramente, a única coisa que esses ladrões entendem é custo e lucro," disse Summers.

"Esse tipo de violação só pode ser sistêmico na empresa e é realmente sintomático do sistema de bandeiras de conveniência, que permite a exploração e o abuso trabalhista dos marítimos de linhas internacionais.”

"Nas últimas semanas, os inspetores da ITF na Europa trouxeram à tona outros casos de falta de comida em embarcações da Blumenthal. De forma que agora mesmo, a Blumenthal é uma prioridade para a ITF e continuaremos a inspecionar as embarcações em portos ao redor do mundo, de forma a garantir que mais de 700 marítimos ao longo de toda a sua frota não sejam submetidos a tais práticas de exploração," concluiu Summers.

Este é o mais recente exemplo da navegação por bandeira de conveniência e do nível rasteiro que agora define os padrões do comércio doméstico australiano. Os navios com bandeira de conveniência dominam a cabotagem Australiana e são o centro de uma disputa entre sindicatos de marítimos e a BHP e a BlueScope, depois que as empresas substituíram dois graneleiros com tripulação australiana por marítimos estrangeiros em condições de bandeira de conveniência.

Clique aqui para baixar o material em vídeo sobre os armazéns de alimentos durante a inspeção feita pela ITF.

CONTATO

Dean Summers, coordenador nacional da ITF | +61 (0) 419 934 648

Luke Menzies, gerente de mídia para assuntos marítimos da ITF | +61 (0) 433 889 844 | menzies_luke@itf.org.uk

A RESPEITO DA ITF

A Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) é uma federação democrática de sindicatos e de âmbito mundial de 665 sindicatos de trabalhadores em transportes, representando mais de 20 milhões de trabalhadores em 147 países. A ITF trabalha para melhorar as vidas de trabalhadores do mundo todo e organizando a solidariedade internacional em sua rede de afiliados. A ITF representa os interesses dos sindicatos de trabalhadores em transportes que tomam decisões que afetam empregos, condições empregatícias e segurança na indústria dos transportes.

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.