Ir para o conteúdo principal

Trabalhadores quenianos marcham para que a implementação do BRT seja inclusiva

15 Mar 2019

Trabalhadores de sindicatos do Quênia afiliados à ITF marcharam por Nairóbi no dia 8 de março - Dia Internacional da Mulher - para apresentar ao ministério dos Transportes um documento em que se posicionam quanto à implementação do BRT na cidade.

A marcha, organizada pelo Sindicato dos Trabalhdores dos Transportes (TAWU), o Sindicato dos Profissionais do Matatu (MWU) e o Sindicato dos Operadores do Transporte Público (PUTON), com apoio da ITF, conclamou o governo queniano a prestar atenção em questões específicas do planejamento do sistema BRT, a exemplo de garantir igualdade ótima de gênero em cada aspecto.

Isto se seguiu ao lançamento pela ITF do relatório pioneiro do Instituto Global do Trabalho, que cobre o impacto do BRT nos trabalhadores do transporte público.

As seguintes reivindicações foram apresentadas ao principal secretário do Departamento Queniano de Habitação e Desenvolvimento Urbano, o sr. Charles Hinga Mwaura:

  • A Autoridade da Área Metropolitana de Nairóbi (NAMATA) deveria trabalhar com os sindicatos para enfrentar a desigualdade de gênero e a discriminação contra as mulheres trabalhadoras no projeto do BRT, incluindo acesso aos sanitários, igualdade salarial e lugar de trabalho seguro
  • Deve-se dar prioridade à inclusão das vozes dos trabalhadores através de seus representantes sindicais no processo de concepção e implementação do BRT
  • As empresas que operam o BRT devem ser impelidas a primeiramente considerar o emprego dos mais de 35 mil trabalhadores cujos trabalhos estão ameaçados pelo projeto, por meio de um processo de recrutamento transparente
  • Deve-se implementar um programa para retreinar os trabalhadores em risco de perderem seus empregos para o projeto do BRT
  • Deve haver um processo para formalizar e melhorar a indústria do matatu (serviço privado e informal de furgões) e integrá-lo aos sistema do BRT
  • O NAMATA inclui em seu plano de desenvolvimento de infraestrutura a atualização das estradas de ligação com as vias do BRT

O sr. Hinga saiu para reunir-se com os trabalhadores quando eles chegaram ao seu escritório e disse: “O BRT vem com oportunidades de emprego para todos vocês. Trabalharemos com seus líderes sindicais para que os profissionais do Matatu estejam representados. Vocês são os atores mais importantes.”

Dan Mihadi, secretário geral do TAWU, disse na reunião com o Sr. Hinga: "Não somos contra o BRT. A nossa preocupação sempre foi a exclusão da voz dos trabalhadores. Estamos felizes de que se tenha dado um passo positivo hoje e contamos com continuarmos progredindo dessa maneira.”

O projeto de BRT do Quênia está em estágio avançado e os profissionais do matatu - que são atores-chave - do Quênia têm lutado por inclusão nas decisões e planos do projeto.

A secretária regional adjunta da ITF para a África, Anna Karume, disse: "O setor do transporte informal é um componente muito crítico do transporte urbano. Os sindicatos demonstraram unidade e ordem ao fazerem reivindicações sobre importantes aspectos tais como igualdade de gênero e contamos com sua inclusão na implementação do BRT."

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.