Ir para o conteúdo principal

Trabalhadores da aviação devem ter prioridade na vacinação contra COVID-19

05 Jan 2021

A Federação Internacional das Associações de Pilotos de Linhas Aéreas (IFALPA) e a Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) acolhe o progresso do desenvolvimento de vacinas contra a COVID-19. Conforme as vacinas continuam a ser aprovadas e distribuídas em todo o mundo, os trabalhadores da aviação terão um papel fundamental na integridade da cadeia de suprimentos global. Uma estratégia global de vacinação eficaz dependerá da disponibilidade de tripulantes e de outros trabalhadores da aviação saudáveis, descansados e treinados.

A IFALPA e a ITF pedem prioridade para os trabalhadores da aviação na vacinação contra a COVID‑19, depois que os trabalhadores da saúde e os grupos vulneráveis tiverem sido imunizados.

Além de fornecer um nível de proteção para os tripulantes, a previsão é de que os Estados exigirão prova de vacinação para entrada. A vacinação oportuna dos trabalhadores da aviação ajudará a garantir que eles possam continuar a operar as cargas e os voos de passageiros que formam elos importantes na cadeia de suprimentos global, principalmente os trabalhadores que têm funções críticas de segurança, proteção ou contato com clientes.

Esta posição é consistente com as recomendações do grupo SAGE da Organização Mundial da Saúde no Plano de ação para usos prioritários das vacinas contra COVID‑19. Este plano de ação identifica as populações que têm prioridade de vacinação com base nos aspectos epidemiológicos e suprimentos de vacina. Os trabalhadores da saúde e pessoas de alto risco têm prioridade e, em seguida, recomenda-se que os trabalhadores em transportes, juntamente com outros trabalhadores essenciais fora dos setores da saúde e educação, tenham prioridade.

A vacinação servirá também como um caminho para a remoção de isenções e alívio das normas de segurança atuais que foram admitidas devido às restrições da pandemia de COVID-19. A OACI recomenda que as isenções não sejam prolongadas além de 31 de março de 2021. Deve-se observar que outra medida de mitigação pode ser tomada para possibilitar o retorno às normas de segurança normais, mesmo que o suprimento de vacinas não permita que os trabalhadores da aviação sejam priorizados antes de 31 de março de 2021.

No mês passado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) anunciou o pontapé inicial dos debates com mais de 350 parceiros, incluindo as principais empresas aéreas, linhas de navegação e associações de logística do mundo inteiro para entregarem as vacinas contra COVID-19 para mais de 92 países. A IFALPA e a ITF terão o orgulho de apoiar esses esforços, mas veem a vacinação dos trabalhadores da aviação e de outros trabalhadores em transportes tão essenciais, para esses e outros esforços de entrega sem interrupção das vacinas que salvarão vidas, quanto a disponibilização das doses.