Ir para o conteúdo principal

Pesquisa coreana demonstra como o Tarifas Seguras funciona: melhor remuneração dos caminhoneiros aumenta a segurança

11 Aug 2021

 

Uma Pesquisa sobre o Sistema de Tarifas Seguras, que está em vigor na Coreia do Sul desde janeiro de 2020, mostrou que ele está funcionando.

Os sistemas de Tarifas Seguras estabelecem por lei normas de remuneração e condições de trabalho justas no transporte rodoviário. Eles tornam as empresas no topo das cadeias de contratação responsáveis por garantir que as normas sejam cumpridas.

As tarifas seguras mínimas de pagamento aliviam as pressões comerciais, que induzem a práticas perigosas nas estradas, sobre os motoristas do transporte rodoviário. As Tarifas Seguras também permitem que os motoristas sejam capazes de prover para si mesmos e suas famílias, enquanto reduzem consideravelmente a pressão sobre os motoristas para dirigir cansados, em alta velocidade ou com os veículos sobrecarregados. A nova pesquisa mostra que a teoria por trás do Tarifas Seguras está funcionando na prática na Coreia do Sul.

O sistema de Tarifas Seguras coreano aplica-se aos condutores de caminhões operadores proprietários dos setores de transporte de contêineres e cimento. A pesquisa em seus primeiros oito meses foi baseada em duas sondagens realizadas com motoristas antes e depois da sua entrada em vigor.

“Os motoristas relataram uma diminuição nas pressões de redução de custos”, disse Noel Coard, Secretário das Seções de Transporte Interior da ITF. “Fadiga, excesso de velocidade e sobrecarga, os principais fatores de acidentes com caminhões, todos melhoraram. A pesquisa confirma que o Tarifas Seguras está funcionando na Coreia. E se funciona lá, deve ser posto em prática no mundo inteiro.”

As principais conclusões da pesquisa são que, após a implantação do Tarifas Seguras:

  • A remuneração dos caminhoneiros aumentou em média 3,6%.
  • O número de motoristas que sentiram sonolência ao dirigir diminuiu em 29%. 
  • O número de motoristas com sobrecarga diminuiu em 39,9%
  • O número de motoristas com excesso de velocidade caiu 33,6%.

“Embora a remuneração tenha aumentado”, disse Coard, “a pesquisa revelou que os motoristas de caminhão na Coreia do Sul recebem apenas 56,8% do salário médio dos trabalhadores em transportes do país. Logo, muito ainda pode ser melhorado.”

A pesquisa também mostrou que o Tarifas Seguras está sendo comprometido por violações contínuas por parte de clientes e empresas de transporte. O sistema teria um impacto ainda maior na segurança rodoviária e na sustentabilidade da indústria se fosse devidamente aplicado.

O relatório conclui que o Tarifas Seguras deve ser tornado permanente e estendido a outros setores. Diz que deveria haver um melhor monitoramento e aplicação com a participação dos sindicatos e de outras partes interessadas. Também sugere que o sistema poderia ser melhorado acrescentando padrões de remuneração para contratos com múltiplas partes interessadas.
 

Obs.:

  • A pesquisa, intitulada Análise do Impacto Inicial do Sistema Coreano de Taxas Seguras e Propostas para Implementação Sustentável”, foi publicada pela Divisão de Solidariedade aos Motoristas de Carga do Sindicato Coreano dos Trabalhadores do Transporte Público e do Serviço Público (KPTU-TruckSol) e pelo Grupo de Pesquisa de Tarifas Seguras Coreano (KSRRG), com apoio da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF).
  • Ela confirma décadas de pesquisas realizadas por acadêmicos e especialistas internacionais que mostram que tarifas justas para motoristas de veículos comerciais melhoram a segurança em nossas estradas. Confirma também os princípios estabelecidos nas Diretrizes da OIT sobre a promoção do trabalho decente e da segurança rodoviária no setor de transportes adotadas em 2019.
  • Perguntas sobre a pesquisa devem ser encaminhadas para o Grupo de Pesquisa de Tarifas Seguras Coreano (Doojoo Baek, Diretor, baekdj1130@naver.com). Quem quiser saber mais sobre o trabalho da ITF para conseguir Tarifas Seguras no mundo inteiro, entre em contato com a equipe de Transporte Interior da ITF em inlandtransport@itf.org.uk