Ir para o conteúdo principal

A Hora da Mudança: saúde mental é responsabilidade de todos

12 Oct 2021
Crédito: Jake Lester Bodegas

No Dia Mundial da Saúde Mental (domingo, 10 de outubro de 2021) a ITF recomenda às partes interessadas de todo o setor de transporte que se reúnam e reconheçam sua responsabilidade coletiva de priorizar a saúde mental de todos os trabalhadores.

A organização está pedindo uma abordagem colaborativa que irá articular os esforços existentes de sindicatos, empregadores e de todas as partes interessadas relevantes, incluindo governos e agências internacionais em toda a indústria, para alcançar um entendimento comum e estabelecer um plano de ação que ajudará a conduzir mudanças reais e duradouras.

Reconhecendo a responsabilidade

Como a natureza de alto risco da saúde mental está apenas começando a ser amplamente abordada no setor de transporte, a ITF encoraja os empregadores a reconhecerem sua responsabilidade, intensificarem os esforços, unirem-se e atuarem para promover a mudança.

Os trabalhadores de todo o setor de transporte têm vivenciado níveis sem igual de estresse e pressão em funções que, por sua natureza e ambiente, os tornam mais suscetíveis a problemas de saúde mental. Principalmente os marítimos, os caminhoneiros de longa distância e alguns trabalhadores ferroviários que passam muito tempo longe de casa, já que é muito mais difícil para eles pedirem ajuda e para nós chegarmos até eles. O acesso limitado a serviços, informações, comunicação, família e amigos contribuem para o comprometimento da saúde mental. Além disso, o estigma que envolve a saúde mental no setor de transporte quase sempre dificulta que os trabalhadores lidem com seus problemas e busquem apoio.

Esses desafios implacáveis foram exacerbados pela incerteza trazida pela pandemia. Os trabalhadores em transportes estão enfrentando preocupações muito reais em termos de cortes salariais, perda de emprego, doença e longos períodos de isolamento. O aumento da ansiedade provavelmente está contribuindo para o aumento do sofrimento psicológico e, assim, para o aumento do risco de desenvolver problemas de saúde mental. A ITF pede que mais seja feito e rapidamente.

A ITF acredita que está se tornando cada vez mais óbvia a necessidade de todas as partes interessadas consolidarem seus aprendizados individuais e atuarem diretamente. Relatórios ilustram a severa realidade enfrentada por muitos na indústria marítima em suas atividades diárias. Em 2019, muito antes do início da pandemia de Covid-19, a Seção dos Marítimos da ITF e o Fundo dos Marítimos da ITF contrataram a Universidade de Yale para realizar um estudo sobre saúde mental e fatores de risco entre os marítimos. De acordo com o estudo, o predomínio de depressão e ansiedade entre os marítimos pesquisados foi de 25% e 17%, respectivamente. Não há dúvida de que os últimos 18 meses aumentaram essas estatísticas chocantes.

Embora para alguns empregadores da indústria marítima enfrentar o desafio da saúde mental possa parecer uma tarefa intimidante, a ITF tem convicção ao afirmar que é chegada a hora de uma ação coletiva. Os trabalhadores em transportes não podem mais esperar por uma solução consistente de apoio à saúde mental, principalmente porque continuamos a lidar com os efeitos da pandemia.

O secretário-geral da ITF, Stephen Cotton, acrescentou: “A pandemia de Covid-19 afetou os trabalhadores em transportes marítimos e aqueles de toda a indústria do transporte de diversas formas, incluindo estresse e ansiedade pela saúde e família, isolamento social, fadiga mental e física.

Embora medidas limitadas, como o acesso a linhas de apoio e comunicações, tenham sido tomadas por alguns empregadores durante a pandemia, neste Dia Mundial da Saúde Mental clamamos à indústria que se reúna para criar um plano de ação centralizado que dê à saúde mental a projeção e a atenção de que precisa e merece. A força de trabalho que representamos são trabalhadores essenciais cujos esforços quase nunca são reconhecidos, eles agora precisam, mais do que nunca, de ajuda e apoio. Não vamos decepcioná-los.”

Apoio continuado

A ITF reconhece a crise de saúde mental no setor de transporte e continua a desenvolver e implementar iniciativas através do Programa Global de Bem-Estar, cujo objetivo é conscientizar, dar apoio e iniciar a mudança. No contexto da pandemia, a vida para a comunidade marítima tem sido extremamente conturbada, tornando o apoio contínuo ao Programa ainda mais importante.

Para responder às condições específicas criadas pela pandemia de Covid-19, a ITF lançou a inovadora campanha digital “Reflita, Reconheça e Peça Ajuda”. A campanha utiliza plataformas de rede social, como Facebook, Twitter e Instagram, para compartilhar informações, conselhos e apoio para lidar com estresse, depressão e outros problemas de saúde mental. Baseada em três pilares centrais, a campanha incentiva os marítimos a refletirem sobre os desafios que estão enfrentando e os efeitos sobre sua saúde mental para que possam ser tratados, reconhecerem os primeiros sinais e sintomas de estresse para aliviar os efeitos e, por fim, pedirem ajuda, chamando a atenção dos serviços e outras fontes de apoio.

Entre outras iniciativas de longa data oferecidas pelo Programa, há o oferecimento de treinamento e apoio técnico aos afiliados da ITF, permitindo que seus membros acessem aconselhamento por telefone de alta qualidade 24/7 para uma série de questões de bem-estar, incluindo saúde mental. A ITF está trabalhando nisso com sindicatos marítimos de grande escala como o Sindicato Nacional dos Marítimos da Índia (NUSI), Associação dos Oficiais da Marinha e do Sindicato dos Marítimos das Filipinas (AMOSUP), Sindicato Forward Seafarers Union of India (FSUI), Sindicato Nacional dos Marítimos do Sri Lanka (NUSS) e o Sindicato dos Marítimos da Turquia (TDS) para maximizar os benefícios.

Além disso, em colaboração com seus afiliados de diferentes setores do transporte, a ITF tem realizado sessões ao vivo no Facebook sobre uma série de questões de saúde mental que devem continuar devido à crescente demanda. Cada sessão ao vivo tem atraído milhares de trabalhadores em transportes, além das mais de 100.000 visualizações das gravações até o momento.

Para aumentar a conscientização e o acesso aos serviços de aconselhamento disponíveis para os marítimos e suas famílias, a ITF criou a Lista de bem-estar dos marítimos da ITF. A lista consolida os recursos disponíveis para os afiliados da ITF e outras organizações visando facilitar ao máximo os valiosos serviços que geralmente estão fora de alcance nos ambientes isolados onde trabalham.

O Programa também selecionou uma biblioteca de fichas de informações e orientações que oferece conselhos práticos sobre uma série de questões de bem-estar. Todo o conteúdo é simplificado para tornar o mais acessível possível para todos os marítimos que precisem de apoio.

O Aplicativo dos Marítimos da ITF foi criado pensando nas necessidades específicas dos marítimos – ele pode ser baixado gratuitamente e acessado a qualquer momento, em qualquer lugar. O software oferece um centro de informações práticas que foi recentemente renovado para fornecer aconselhamento essencial em questões de bem-estar, como estresse e depressão, além de um valioso ponto de contato com a ITF para obter mais apoio.

Uma recente pesquisa conduzida pela ITF indicou que o Facebook é a maneira mais eficaz de se comunicar com os marítimos. Com isso em mente, o Programa de Bem-Estar utiliza sua página no Facebook para manter os marítimos e outros trabalhadores em transportes atualizados sobre questões de bem-estar. Os membros usam com frequência o Messenger associado à página do Facebook para contatar a ITF pedindo apoio e orientações para suas necessidades específicas.

Jacqueline Smith, coordenadora marítima da ITF, comentou: “A deterioração do bem-estar mental tem sido uma constante preocupação para a indústria marítima. Os problemas psicológicos dos marítimos quase sempre são desencadeados por más condições de trabalho e longas horas, assim como preocupações de ordem financeira e mesmo a solidão por passarem tanto tempo longe da família e dos amigos. Eu apoio vigorosamente a chamada para que toda a indústria do transporte implemente orientações claras e sólidas em relação à saúde mental e incluam em suas políticas existentes quando for o caso.”

Educação é fundamental para combater problemas de saúde mental. Prevenção, reconhecimento e intervenções prematuras quase sempre resultam em resultados positivos. É por isso que a ITF permanece comprometida em destacar o problema e compartilhar informações e conselhos em nível de cadetes e aprendizes. Ao longo dos anos, a ITF se valeu de sua experiência para desenvolver módulos sobre Bem-estar, abrangendo assuntos como gestão do estresse que são ensinados nas escolas marítimas em todo o mundo. Em colaboração com seus afiliados e academias marítimas selecionadas, a ITF tem introduzido esses módulos em países como a Índia, Filipinas, Sri Lanka, Bangladesh, México, Chile, Peru, Colômbia, Panamá, Tailândia, Uruguai e Ucrânia.

Além disso, o Programa de Bem-Estar da ITF está atualmente desenvolvendo um módulo de treinamento completo sobre problemas de saúde mental para socorristas/educadores pares dos sindicatos em resposta direta aos fatores de estresse apresentados pela pandemia. O módulo foi testado em campo entre sindicatos marítimos e de transporte rodoviário da Índia e seu lançamento está previsto para as próximas semanas. Educadores sindicais, organizadores, membros do comitê de jovens e mulheres do setor de transporte serão treinados para preencher essas funções e provar que é crucial para mitigar as questões de saúde mental e psicossociais decorrentes dos atuais fatores de estresse.

Olhando para um futuro mais promissor

A ITF acredita que embora o apoio à saúde mental esteja progredindo lentamente no setor de transporte, é necessário acelerar a mudança com vistas a prevenir mais dano à força de trabalho.

No momento, as partes interessadas estão considerando as questões em torno de saúde mental de forma individual, o que tem impedido uma ação significativa. Para encontrar um caminho melhor, a ITF pede uma abordagem em três fases. Primeiro, que todas as partes interessadas, incluindo sindicatos, empregadores e agências do poder público encontrem um entendimento comum das questões sobre saúde mental. Segundo, que reconheçam sua responsabilidade conjunta e criem sinergia entre os esforços existentes das partes interessadas. Terceiro, lancem um esforço de colaboração em que todas as partes interessadas se reúnam para desenvolver programas e iniciativas para fazer mudanças reais e duradouras.

A ITF acredita que essa abordagem evoluiria e ganharia força no contexto de todas as partes interessadas envolvidas, identificando a saúde mental como sendo fundamentalmente um problema do local de trabalho interligado à natureza das funções e do ambiente da indústria do transporte.