Ir para o conteúdo principal

Greve dos trabalhadores australianos contra a terceirização injusta e insegura da FedEx

04 Oct 2021
Crédito: TWU Austrália
A ITF promete apoio e mais ações globais contra práticas comerciais inseguras no transporte rodoviário.

Hoje [quinta-feira, 30 de setembro de 2021], trabalhadores em transportes rodoviários nos pátios da FedEx na Austrália entram em greve após a administração se recusar repetidamente a abordar preocupações com segurança e estabilidade no emprego.

A ação é uma de uma série de paralisações contínuas de 24 horas em várias empresas de logística em toda a Austrália, organizadas pelo afiliado da ITF, o Sindicato dos Trabalhadores em transportes (TWU). Os trabalhadores estão protestando contra a terceirização, parte de um problema maior causado por práticas antiéticas de empresas varejistas e de tecnologia no topo das cadeias de suprimentos do transporte rodoviário. 

As greves manifestam a agitação em todo o mundo enquanto varejistas online e outros grandes clientes continuam com modelos de negócios impraticáveis, quase sempre às custas das condições dos trabalhadores e da segurança rodoviária. O TWU estima que morra um caminhoneiro a cada dez dias nas estradas australianas.

“Nós estamos ao lado de nossos companheiros e companheiras na Austrália”, disse Stephen Cotton, secretário-geral da ITF. “Sua luta por segurança no emprego é o que estamos vendo em todo o setor. Varejistas on-line e empresas logísticas estão tentando baixar custos por meio da terceirização e das plataformas de aplicativo. Porém, estão criando uma incerteza horrível para trabalhadores e suas famílias. E pior, estão pressionando os condutores a trabalhar mais horas sob condições perigosas, colocando em risco a todos que trafegam pelas estradas.”

“A ITF pede às empresas que usam transporte rodoviário que reconheçam o efeito devastador que seu modelo de negócios está causando.”

Imenso apoio à greve

Os trabalhadores votaram e uma esmagadora maioria de 97% endossou a greve na FedEx, relata o TWU. As conversas foram interrompidas na semana passada, quando a empresa rejeitou as exigências de limites máximos de contratação externa e de garantir trabalho para os empregados existentes antes de contratar externamente. A empresa também se recusou a garantir os mesmos salários e condições para os empregos terceirizados.

A ação vem após uma greve de 2000 trabalhadores na empresa de logística StarTrack na semana passada. Os membros do TWU em várias outras empresas, incluindo na Toll, Linfox e Bevchain, também votaram a favor da ação industrial. 

O comércio eletrônico está fazendo cada vez mais pressão sobre as empresas de transporte estabelecidas para que terceirizem e cortem salários e condições. O modelo de negócios dessas empresas – e das plataformas de entrega de aplicativo, como a Amazon Flex – mina as empresas tradicionais tratando os trabalhadores como autônomos, pagando menos e não oferecendo nenhuma segurança real no emprego. As empresas alegam que isso dá mais flexibilidade ao trabalhadores, mas uma pesquisa dos afiliados da ITF (Austrália, Índia) indicou que os condutores se sentem sob pressão para trabalhar mais rápido, por mais horas e em horários mais indesejáveis. São todos fatores que aumentam o risco de acidentes. Os novos modelos de negócios são comprovadamente inseguros.

“Existe uma solução simples para frear esta espiral descendente”, disse Noel Coard, secretário das Seções de Transporte Interior da ITF. “Os governos devem trabalhar com os sindicatos e outras partes interessadas para definir padrões seguros de remuneração e condições. Essa é a abordagem do “Tarifas Seguras” e tem sido demonstrado que funciona. Se a remuneração e as condições forem reguladas de forma imparcial, então as empresas param de violar os direitos dos trabalhadores e podem, em vez disso, concorrer pela qualidade dos serviços.”

“Todos ganham com o Tarifas Seguras. As empresas de transporte e seus clientes ganham um mercado menos volátil. Os trabalhadores ganham melhor remuneração e segurança no emprego e há menos acidentes nas estradas.”

Semana de ação em apoio ao Tarifas Seguras

A ITF organizou a Semana de Ação pelo Trabalho Decente e Segurança na Indústria do Transporte Rodoviário, de 21 a 28 de outubro de 2021. Clamaremos aos governos que introduzam os sistemas de Tarifas Seguras, e aos clientes e às empresas de transporte que parem com as práticas de negócios inseguras e insustentáveis. Durante a semana, os sindicatos demonstrarão solidariedade aos afiliados da ITF engajados em ação industrial em países como na Austrália e Coreia do Sul.

A Coreia do Sul decretou um sistema de Tarifas Seguras em 2020, e já teve resultados positivos de segurança comprovados. Porém, grandes clientes do setor de transportes querem que o sistema seja abolido.

“Essas empresas parecem determinadas a arriscar a vida dos usuários das estradas sul coreanos em troca de pequenas economias de custo”, disse Coard. “Eles permanecem indiferentes aos benefícios em longo prazo deste tipo de sistema.”

Modelos de negócios inseguros e insustentáveis são a causa raiz da escassez de condutores em todo o mundo. Durante a semana de ação, a ITF e seus afiliados promoverão o Tarifas Seguras como a única solução viável. O sistema de Tarifas Seguras já foi endossado por governos, sindicatos e representantes de empregadores na Organização Internacional do Trabalho (OIT) através das Diretrizes do Transporte rodoviário. Além do Tarifas Seguras, as diretrizes responsabilizam os governos, empresas de transporte e clientes por vários padrões aplicados a todos os condutores, independentemente da relação empregatícia. Entre eles:

  • Liberdade de associação e direitos de negociação coletiva
  • Protocolos de saúde e segurança ocupacional, treinamento e medidas preventivas
  • Práticas de contratação e documentação transparentes
  • Aumento do emprego de mulheres através de melhor gerenciamento da cadeia de suprimentos para permitir um equilíbrio entre vida profissional e pessoal, prevenção de violência e assédio e instalações sanitárias adequadas
  • Devida diligência em direitos humanos
  • Inspeção e imposição

“Na qualidade de sindicato representante de trabalhadores em transportes do mundo inteiro, emitimos esse alerta à administração da FedEx na Austrália e para as empresas de logística e clientes em todo o mundo”, disse Coard. “Esta não é uma dificuldade local. Vocês estão se aproveitando das mudanças na maneira como as pessoas fazem compras para tornar miserável a vida dos trabalhadores em transportes e suas famílias. Os sindicatos não tolerarão. Temos uma solução que dá aos trabalhadores um acordo justo, torna as rodovias mais seguras e cria uma indústria do transporte rodoviário mais sustentável para todos nós.”