Ir para o conteúdo principal

Governos devem adotar tecnologia de satélite na luta contra o trabalho forçado na pesca

05 Jan 2021
Comunicado à imprensa

Os representantes da Seção de Pesca da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF), uma voz global para os milhões de pescadores do mundo, dizem que um novo estudo de pesquisadores dos Estados Unidos usando dados de satélite ajudou a revelar a extensão das violações trabalhistas na indústria e como a tecnologia pode ser usada no cumprimento da lei para que sejam tomadas medidas severas contra a escravidão moderna e o tráfico humano em navios.

O coordenador da Seção de Pesca da ITF, Rossen Karavatchev, disse que, embora a ITF não esteja surpresa em saber que os pesquisadores tenham identificado 100.000 trabalhadores potencialmente nas garras do trabalho forçado a bordo de grandes embarcações de pesca industrial, o estudo ofereceu novas ferramentas para o cumprimento da lei.

Os pesquisadores combinaram dados de satélite da Global Fishing Watch com aprendizagem de máquina e o conhecimento das organizações de direitos humanos e dos trabalhadores para mapear os comportamentos de navios em que é provável que haja abusos de direitos humanos. 26% das 16.000 embarcações que eles rastrearam exibiram comportamentos consistentes com tripulações em alto risco de trabalho forçado.

“Não estamos surpresos que outro estudo tenha dado ao mundo uma indicação do crescimento desorganizado e inaceitável da grande epidemia de abusos de direitos humanos na indústria global da pesca. Entretanto, esta pesquisa não só mostra a escala do problema, mas também como os governos podem implementar tecnologia para combater o trabalho forçado e o tráfico humano para limpar a indústria da pesca e acabar com a miséria de centenas de milhares de trabalhadores em navios”, disse Karavatchev.

“Este estudo coloca mais pressão nos governos para que usem seus recursos para combater as violações trabalhistas generalizadas, abusos de direitos humanos, tráfico humano e incidentes de escravidão que sabemos que estão ocorrendo a bordo de embarcações de pesca industrial. Os governos têm as ferramentas – por que não estão usando?”

O presidente da Seção de Pesca da ITF, Johnny Hansen, disse que a exploração na pesca não era um problema só dos países em desenvolvimento, mas quase sempre acontecia a centenas de metros das costas dos países mais ricos do mundo.

“Este estudo da Universidade da Califórnia destaca as regiões nas quais a ITF tem clamado por ação, como o Sudeste Asiático e o Atlântico Sul, mas também acrescenta provas dos crescentes abusos de direitos humanos que temos visto nas costas do Canadá, Nova Zelândia e norte da Europa.”

“Precisamos que os governos entendam que esta é uma indústria global em que grandes embarcações de países como Taiwan, China e Portugal viajam pelo mundo com práticas trabalhistas que colocariam empregadores na cadeia em seus próprios países. Eles recrutam, traficam ou enganam os trabalhadores da pesca de países do Sul Global para embarcarem nessas prisões flutuantes e, então, navegam em águas profundas e costeiras por todo o mundo.”

“Este relatório deixa claro que combater a exploração na pesca é responsabilidade de todos os governos”, disse Hansen.

A ITF tem apoiado projetos de pesca tanto na Europa como no Sudeste Asiático para combater a exploração na indústria e empoderar os pescadores locais para comunicarem suas preocupações aos governos.