Ir para o conteúdo principal

Declaração da ITF em apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da Amazon em Bessemer, Alabama

16 Apr 2021

Na semana passada, o Governo Federal dos EUA anunciou que os trabalhadores da Amazon no Alabama não obtiveram maioria na eleição do sindicato em suas instalações em Bessemer.

A campanha antissindical agressiva da Amazon e as táticas para interferir na votação serão minuciosamente examinadas pelo Conselho Nacional de Relações Trabalhistas dos Estados Unidos (NLRB) após o Sindicato do Varejo, Atacado e Lojas de Departamentos (RWDSU) anunciar que está apresentando uma impugnação e queixas relacionadas de Prática Trabalhista Injusta para responsabilizar a Amazon pela obstrução de uma eleição livre e justa.

A Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes hoje se coloca ao lado dos trabalhadores da Amazon em Bessemer e do RWDSU e expressa total apoio à declaração emitida hoje pelo Comitê dos Sindicatos Globais sobre o Capital dos Trabalhadores (CWC) pedindo à Amazon para cessar sua campanha antissindical.

Paddy Crumlin, presidente da ITF e copresidente do CWC, reiterou a declaração do CWC sobre os riscos do desrespeito aos direitos trabalhistas fundamentais dos trabalhadores nas instalações da Amazon para seus investidores.

“Os trabalhadores e trabalhadoras da Amazon e o RWDSU expuseram os ataques aos sindicatos, intimidações, coerção e esforços da Amazon para manipular psicologicamente o pessoal durante a eleição sindical em Bessemer. A ‘vitória’ da Amazon expôs as práticas abusivas da empresa, principalmente o abuso do direito fundamental à liberdade de associação dos trabalhadores”, disse Crumlin.

“Os ataques aos sindicatos por parte da Amazon não estão de acordo com as crescentes exigências normativas e as solicitações dos investidores que exigem que as empresas globais mostrem como estão respeitando os direitos humanos, incluindo os direitos trabalhistas em todas as suas operações e cadeias de suprimentos”, acrescentou Crumlin.

A Amazon declarou publicamente seu dever de respeitar e defender direitos humanos internacionalmente reconhecidos e tratamento ético de sua força de trabalho, mas suas ações simplesmente não condizem com suas promessas e o compromisso da empresa de acatar os Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos, as principais Convenções da OIT, a Declaração da OIT sobre Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho e a Declaração Universal de Direitos Humanos da ONU.

“Os fundos de pensão e gestores de ativos de todo o mundo deveriam se preocupar com o fato de que a Amazon não tem honrado os compromissos assumidos nesses acordos”, disse Stephen Cotton, secretário-geral da ITF. “Não temos dúvidas que os fundos de pensão responsáveis avaliarão se a Amazon cumpre seus próprios compromissos aos Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos, as convenções da OIT e os princípios trabalhistas domésticos. Como parte desta abordagem de devida diligência em direitos humanos pertinente, clamamos a todos os investidores que usem seu engajamento com a Amazon para pressionar a empresa a mudar de comportamento.”