Ir para o conteúdo principal

Cabe aos governos definir isenções para os marítimos após a cúpula

14 Jul 2020
Comunicado à imprensa

A Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) convocou os governos ao redor do mundo a agirem com rapidez para dar aos marítimos isenções de visto, fronteira e quarentena, a fim de tornar possíveis as trocas de tripulação e resolver a presente crise.

O secretário-geral da ITF, Stephen Cotton, representou o milhão de marítimos atualmente pertencendo à federação na Cúpula Virtual Marítima Internacional sobre Trocas de Tripulação, recepcionada pelo Reino Unido em Londres.

Os governos hoje emitiram uma declaração pedindo para urgentemente levar adiante uma gama de ações visando a ‘contornar a crise mundial que se desdobra no mar’ para mais de 400.000 marítimos aprisionados a trabalhos em navios, muito além do estipulado em seus contratos, desesperadamente querendo retornar a casa”, disse Stephen Cotton.

“Agradecemos aos países que se reuniram hoje por seu compromisso e, agora, convidamos os ministros e autoridades que assinaram na linha pontilhada a que voltem a seus países e deem seguimento a esses pleitos críticos, concedendo isenções e exceções para que os marítimos possam se mover livremente, dessa forma permitindo segurança nas operações de troca de tripulação e repatriação.”

“O que queremos fazer é lembrar a todos os governos que, enquanto o seu foco predominante for o de responder aos desafios econômicos da pandemia de Covid-19, tal resposta não poderá ignorar a provação por que passam os marítimos e sua dignidade humana fundamental.”

“Após meses de agravamento desta crise das trocas de tripulação, cabe aos governos fazer a sua parte. Isto significa que os estados portuários onde atracam os navios; os estados de bandeira onde os navios são registrados; os hubs aeroportuários de trânsito; e os países de origem dos marítimos, todos precisam abrir exceções quanto a vistos, quarentenas e fronteiras e já, não amanhã ou na semana que vem”, disse Cotton.

A ITF tem alertado repetidamente que, se os governos não abrem exceções práticas para os marítimos e não tornam mais voos disponíveis, haverá sérios riscos ao bem-estar dos marítimos, à segurança marítima e às cadeias críticas de suprimento.

“Aplaudimos esses líderes que hoje se reuniram para reconhecer o perigo que tripulantes exauridos, no limite de suas forças, trabalhando muito além do acordado em seus contratos, representam para a segurança pessoal dos marítimos, a operação das cadeias globais de suprimento e a prevenção do potencial aumento dos acidentes marítimos e da poluição. Cabe a outras nações também se manifestarem”, disse Cotton.

“Cabe aos governos passar da fase de apreciar o caso dos marítimos, ‘que ininterruptamente vêm operando navios e movimentando o comércio ao longo da crise global’, para a de agir de maneira concreta. O momento agora é de assumir responsabilidades, já que não serão as palavras que irão tirar o nosso pessoal desses navios”, concluiu Cotton.

Para saber mais, veja o comunicado à imprensa do governo do Reino Unido a respeito do novo compromisso internacional e a ­declaração conjunta da Cúpula Virtual Marítima Internacional sobre Trocas de Tripulação.

Contato para a mídia: media@itf.org.uk | +44 20 7940 9282

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.