Ir para o conteúdo principal

Vitória dos portuários na Libéria após imensa luta por justiça

10 May 2021
Comunicado à imprensa

Vinte e quatro trabalhadores portuários estão hoje de volta ao trabalho após uma luta de proporções épicas.

Membros e líderes do Sindicato dos Trabalhadores Portuários da Libéria (DOWUL), afiliado da ITF, foram erroneamente suspensos pela APM Terminals na Monróvia, a capital do país.

Essas suspensões injustas desencadearam mais de sete meses de luta, provação e tensão para esses portuários corajosos e determinados.

Os trabalhadores têm recebido apoio dos sindicatos na Libéria e toda a região, a Seção dos Trabalhadores Portuários da ITF e, finalmente, do governo da República da Libéria.

Há apenas duas semanas, o ministro do Trabalho da Libéria deixou claro que a APM Terminals (APMT) “não conseguiu provar suas acusações contra os 24 trabalhadores suspensos” e exigiu sua readmissão imediata. Mas a APMT não fez nada.

Líder do DOWUL Jackie Doe (no centro), membros e apoiadores reunidos na porta do Ministério da Justiça da Libéria, que no final de abril solicitou que a APM Terminals da Monróvia readmitisse os trabalhadores injustamente suspensos | Crédito: ITF

Após ação direta dos sindicalistas no porto, seus apoiadores no terminal e grupos civis, o porto efetivamente parou as operações.

Enfurecidos porque a APMT não readmitiu os 24 portuários, o ministro da Justiça da Libéria, Frank Musah Dean, enviou uma nova carta advertindo a APMT que cumprisse imediatamente e incondicionalmente com as inúmeras determinações do governo.

“Somente com o apoio da família de Portuários da ITF, percorremos este longo caminho de luta, de volta aos portões do terminal e de volta ao trabalho.” - Jackie Doe (à direita) | Crédito: ITF

Hoje, a APM Terminals da Monróvia finalmente reconheceu o erro. Os trabalhadores retornaram.

No centro desta disputa com ramificações globais está Jackie Doe, a líder feminina forte e de princípios do Sindicato dos Trabalhadores Portuários da Libéria.

“Estou muito feliz hoje. Foi uma longa luta e aguentamos muito para chegarmos aqui. Mas vencemos e a vitória é de todos”, disse Jackie. “Acho que o que aconteceu mostra a todos, desde as corporações multinacionais até os trabalhadores não sindicalizados do terminal, o alcance do nosso poder quando estamos juntos. Quando estamos juntos, vencemos. Eu digo a todos: é por isso que todos os portuários do terminal devem se filiar ao DOWUL!”, disse Doe. 

Doe agradeceu à família ITF e à Seção dos Trabalhadores Portuários da ITF pelo apoio incessante oferecido durante toda a disputa. 

“Somente com o apoio da família de Portuários da ITF”, continuou ela, “percorremos este longo caminho de luta, de volta aos portões do terminal e de volta ao trabalho.”

O secretário regional da ITF para África, Mohammed Dauda Safiyanu, disse que estava “encantado” por suas companheiras e companheiros na Libéria. 

“A injustiça foi vencida, e esta vitória enviou uma mensagem muito clara para os empregadores na região: respeitem seus empregados e trabalhem de forma construtiva com os sindicatos – ou não hesitaremos em defender os direitos e os empregos de nossos afiliados e seus membros”, disse Safiyanu

Jackie Doe (no centro) e apoiadores desfrutam de um momento de descanso antes de entrarem novamente pelos portões do terminal após uma luta de sete meses pela readmissão | Crédito: ITF

 

A vitória foi sentida em todo o mundo – Crumlin

O presidente da Seção de Portuários e presidente da ITF, Paddy Crumlin, disse que é difícil superestimar o quanto a vitória significa para os 24 trabalhadores, suas famílias e o movimento sindical da Libéria.

“Esta é uma vitória que será sentida em todo o mundo.”

“Graças ao poder do sindicalismo. Graças ao poder do coletivismo, do internacionalismo. Graças à valentia, coragem e pura bravura de Jackie Doe e seus 24 companheiros determinados a fazer justiça”, disse ele.

Crumlin disse que a Seção dos Trabalhadores Portuários da ITF está totalmente comprometida com o diálogo significativo com empregadores e ele espera ver as relações industriais voltarem ao normal com o tempo.

“Porém, e eu digo isso com a maior seriedade possível, nós vigiaremos com olhos de águia o que acontece na Monróvia com relação a esses trabalhadores. Nossa família de portuários não hesitará em fornecer apoio e solidariedade local, regional e internacional sempre que for necessário.”

“Nenhum operador deveria tentar reprimir os direitos humanos dos portuários de associação, organização, negociação coletiva e de defender sua saúde e bem-estar.”

“Não vamos recuar na Monróvia ou em nenhum outro lugar”, disse Crumlin.

Os membros do DOWUL celebram a vitória na APMT na Monróvia, Libéria. Os trabalhadores portuários foram injustamente suspensos pelo operador e foram hoje readmitidos após sete meses de luta com o apoio da Seção dos Trabalhadores Portuários da ITF | Crédito: ITF

FIM


Obs.:

  • Fotos de Jackie Doe e outros portuários encontram-se disponíveis mediante solicitação por email para media@itf.org.uk.
  • Veja a reação da ITF à decisão do Ministério do Trabalho no final de abril aqui.

Sobre a ITF: A Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) é uma federação democrática e liderada pelos afiliados, reconhecida como a autoridade em transportes líder no mundo. Lutamos apaixonadamente para melhorar a vida profissional, conectando sindicatos de 147 países para assegurar direitos, igualdade e justiça para nossos membros. Somos a voz de aproximadamente 20 milhões de trabalhadoras e trabalhadores na indústria de transportes do mundo todo, incluindo mais de um milhão de marítimos.

Contato para mídia:       media@itf.org.uk            +44 20 7940 9282