Ir para o conteúdo principal

Milhares de marítimos presos clamam ao primeiro-ministro australiano que faça a "coisa certa"

06 Apr 2020
Comunicado à imprensa
A Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) pediu ao primeiro-ministro australiano que faça a “coisa certa” pelos milhares de marítimos que estão presos em embarcações de cruzeiro à deriva na costa da Austrália.

Em 29 de março de 2020, o primeiro ministro Scott Morrison disse, é importante que a Austrália faça a coisa certa com aqueles que estão sob os nossos cuidados para que eu possa dizer com grande autoridade moral que os australianos estão fazendo a coisa certa, e nós gostaríamos de pedir a vocês que façam a coisa certa”.

O presidente da ITF, Paddy Crumlin, escreveu hoje para o primeiro ministro Scott Morrison apelando a ele que demonstre a mesma humanidade aos homens e mulheres trabalhando a bordo de navios de cruzeiro na costa da Austrália que demonstrou ter pelos passageiros de cruzeiros, e a mesma humanidade que o governo dos Estados Unidos ofereceu aos australianos sendo repatriados da Flórida nas próximas 24 a 48 horas.

Estima-se que cerca de 314 de 385 navios de cruzeiro pertencentes e operados pelas principais linhas de cruzeiros estejam atualmente fora de serviço. Muitas das embarcações têm centenas de marítimos a bordo, e os governos se recusam a deixá-los desembarcar e transitar pelos seus portos e aeroportos para repatriação. Isso, apesar das garantias das linhas de cruzeiro de que fretariam voos para levar os marítimos para casa.

Mais de 80% dos navios de cruzeiro do mundo estão cobertos por um acordo da ITF. Sindicatos de marítimos filiados à ITF têm trabalhado com a ITF e seus parceiros sociais para conseguir a repatriação dos marítimos, mas as restrições de viagem e portos impostas pelos governos estão impossibilitando isso, sem nenhuma solução à vista.

Esta situação não é uma situação sustentável,disse o presidente da Força Tarefa dos Navios de Cruzeiro da ITF, Johan Øyen. Os marítimos têm o direito de ser tratados com a mesma decência e dignidade que todas as outras pessoas. Os governos têm que fazer a coisa certae assegurar que milhares de homens e mulheres, que prestaram seus serviços a passageiros de cruzeiros em todo o mundo, tenham direito à mesma compaixão e possam voltar para casa.

Para mais informações, entre em contato: +61 433 889 844 ou media@itf.org.uk

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.