Ir para o conteúdo principal

Roubo de salário fica exposto em navio fretado pela BlueScope

08 Feb 2019
Comunicado à imprensa

Roubo de salário a bordo de navio da BlueScope. O navio fretado de bandeira estrangeira, atualmente em Port Kembla, foi exposto após intervenção da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF).

Após fiscais da ITF inspecionarem, em Western Port e em Port Kembla, a embarcação de registro panamenho KEN EI, em janeiro, conseguiu-se imediatamente o pagamento de $38.384 em salários atrasados, em espécie, aos 20 marítimos filipinos tripulantes do navio.

“Ao chegar a Western Port, a tripulação do KEN EI imediatamente perguntou ao nosso inspetor a respeito das ações pelo pagamento de duas viagens costeiras e solicitou que a ITF faça contato com o dono do navio, dado que não tiveram resposta ou mesmo indicação de que seriam pagos quer pelo dono do navio, quer pelos fretadores BlueScope e Rio Tinto,” disse o coordenador nacional da ITF, Dean Summers.

“Esta é a dura e fria realidade da decisão da BHP e da BlueScope para dar término a 100 anos de navegação australiana, demitindo tripulantes australianos e substituindo-as por embarcações com bandeira de conveniência”, disse Summers.

Os marítimos que trabalham em navios com bandeira de conveniência estão sujeitos a exploração, condições de trabalho precárias e salários baixos, e não raro ficam à mercê de um sistema onde a regulamentação pode ser mínima.

“O roubo salarial é um dos maiores problemas da indústria global da navegação. Apenas em dezembro do ano passado, os inspetores da ITF levaram adiante 761 inspeções e recuperaram quase US$ 2 mi de salários roubados dos marítimos ao redor do mundo,” disse Summers.

“A decisão da BHP e da BlueScope – facilitada pelo governo Morrison – abriu de novo a porta para mais exploração em nosso litoral.

“Nesse caso, a dona do navio somente cooperou depois que a alertamos quanto a suas obrigações pertinentes à lei australiana. Até tivemos que corrigir seus calculos para garantir que a tripulação fosse paga rapidamente.

“Uma inspeção levou a mais de US$40.000 sendo pagos à tripulação do KEN EI, o que justifica nossa preocupação quanto à saúde, segurança e bem-estar das tripulações trabalhando em embarcações de bandeira estrangeira fretadas pela BHP e pela BlueScope no país todo.

“Isto é corroborado pelo fato de que a BHP negou acesso para que os inspetores da ITF pudessem conduzir inspeções de bordo em seus portos, e inventou desculpas para manter as condições de vida e trabalho nessas embarcações fora de escrutínio,” disse Summers.

Contato: Luke Menzies | menzies_luke@itf.org.uk | +61 (0) 433 889 844
 

Sobre a ITF e a Inspetoria da ITF

A Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes é uma federação democrática de sindicatos e de âmbito mundial de 670 sindicatos de trabalhadores em transportes, representando mais de 20 milhões de trabalhadores em 140 países. A ITF trabalha para melhorar as vidas de trabalhadores do mundo todo e organizando a solidariedade internacional em sua rede de afiliados. A ITF representa os interesses dos sindicatos de trabalhadores em transportes que tomam decisões que afetam empregos, condições empregatícias e segurança na indústria dos transportes.

A inspetoria da ITF é uma rede de 147 inspetores e contatos baseados em portos no mundo todo, cujo trabalho é inspecionar navios que atracam em portos, garantindo que os marítimos tenham salários e condições de vida e trabalho decentes a bordo. Eles conduzem inspeções rotineiras e também visitam navios  a pedido de suas tripulações. Se necessário, eles assistem com ações para proteger os marítimos conforme permita a lei.

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.