Ir para o conteúdo principal

Mulheres da ITF comprometem-se com mais ação para proteger a convenção da OIT sobre a violência

02 May 2017
Um compromisso pelo aumento de medidas práticas para proteger a convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT) sobre a violência e o assédio no local de trabalho. Esse foi um dos principais resultados da reunião do comitê de mulheres profissionais do transporte da ITF que se deu em Londres nos dias 24 e 25 de abril.

As integrantes se comprometeram a apoiar sindicatos nos seus países no sentido de coletar histórias de trabalhadoras, de forma a enviar à OIT um convincente conjunto de provas a respeito do impacto da violência contra as mulheres sobre trabalhadores em geral e seus locais de trabalho. Também concordaram com encorajar ativistas sindicais a participar de sua pesquisa de mensuração de igualdade, que versa sobre a igualdade de gênero nos locais de trabalho do setor de transportes, e ajuda a que os sindicatos façam lobby perante seus governos e centrais sindicais nacionais a respeito da necessidade da convenção.

Elas declararam que as mulheres têm que estar no âmago do programa de trabalho prioritário da ITF, e que a campanha Nosso Transporte Público vem elevando os padrões para todos.

Wilma Clement, do Sindicato dos Trabalhadores de Barbados, disse a esse respeito: “O transporte público é muito importante em Barbados, mas os empregos para as mulheres estão desaparecendo. Esta reunião nos permite entender o que vem acontecendo no mundo todo. Sabemos que há pessoas a quem podemos pedir ajuda para formular nossas estratégias de combate às coisas negativas que vêm acontecendo no transporte público”.

O comitê concordou que o foco da conferência global das mulheres empregadas em transporte, que se dará em Marraquexe nos dias 7 e 8 de novembro, será em duas questões:

  • Desenvolver o poder econômico das mulheres que trabalham em transportes: dar fim à segregação ocupacional baseada em gênero na indústria global dos transportes; e
  • Desenvolver o poder da ação sindical para dar fim à violência contra as mulheres que trabalham em transportes: globalmente, regionalmente, nacionalmente e setorialmente.

Jodi Evans, a representante das mulheres da ITF para a igualdade, indagou de que forma as tecnologias revolucionárias continuariam a impactar as mulheres empregadas em transportes, dizendo que a indústria dos transportes já pode ser considerada um ‘dinossauro global’ pela forma como suas políticas ocupacionais e de recrutamento segregam as mulheres. Ela acrescentou que a ITF e seus sindicatos estavam determinados a fazer com que as estruturas do setor prestassem contas, de forma a prevenir um futuro do trabalho sem a presença das mulheres e a recebê-las na indústria em pé de igualdade.

O comitê manifestou seu apoio aos portuários australianos que se defendem dos ataques ao seu sindicato na operadora portuária Patrick

Veja mais imagens da reunião no Facebook e no Twitter usando #ITFwomen.

Leia mais a respeito da campanha Nosso Transporte Público e acompanhe as notícias usando #OurPublicTransport no Facebook e no Twitter.

Garanta que seu sindicato participe da pesquisa de mensuração de igualdade da ITF. Isto é particularmente importante antes de setembro de 2017, uma vez que os centros nacionais preparam suas respostas para o questionário da OIT que está por vir.

 

Publicar um novo comentário

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.