Reivindinque a amarração

Aja para manter o trabalho de amarração com os portuários na Europa

Vidas estão sendo postas em risco e portuários estão sofrendo porque os empregadores ainda estão tentando forçar os marítimos a fazer o trabalho de amarração e soltura.

Como sabem os portuários, fixar a carga é um trabalho perigoso que, se for feito por trabalhadores destreinados, pode levar a lesões e mesmo à morte. Apesar disso, a ITF tem recebido relatos de que isto está acontecendo, dado que os operadores portuários acreditam que podem acelerar as operações portuárias e poupar dinheiro ao não empregar portuários para fazer esse serviço.

O artigo 3º do acordo coletivo da ITF claramente estabelece que “prender e soltar carga é trabalho de portuários, que não se deve pedir à tripulação – a não ser que haja acordo nesse sentido com o sindicato de portuários da ITF local". Empresas, mestres ou oficiais que peçam aos marítimos que desempenhem trabalho de amarração e soltura e não tiverem permissão por escrito para fazerem-no estarão infringindo este contrato.

Se você é um portuário: discuta com seu sindicato o que fazer para apoiar a campanha “Reivindique a Amarração” de onde estiver.

Mantenha-se em dia com a página dos portuários da ITF no Facebook e acompanhando a ITF no twitter @ITFglobalunion #ITFdockers

Use este folheto para que todos saibam.

O folheto também está disponível em russo e tagalo.

Faça o download deste folheto em holandês para a próxima oficina de amarração em Roterdão.

Se você é um marítimo: envie mensagem com detalhes para ReclaimLashing@itf.org.uk, caso lhe seja pedido para fazer trabalho de amarração ou soltura em descumprimento de um contrato da ITF. Inclua o nome da embarcação e o local. Não diremos ao seu empregador,  mantendo os seus dados na confidencialidade.

 


Notícias da campanha de amarração

ANDAMENTO DA CAMPANHA DE AMARRAÇÃO – NORMAS PORTUÁRIAS ADOTADAS

FNV Havens faz o seu primeiro seminário sobre amarração

Os portuários e seus líderes sindicais de toda a Holanda reuniram-se em Roterdã na quarta-feira para lançar uma campanha sobre amarração no marco da campanha da ITF/ETF sobre o assunto. A lotação da sala de seminários mostrou o compromisso com os objetivos da campanha, notadamente lutar de maneira política, jurídica e setorial para garantir que em todos os portos a amarração seja feita por Portuários. Os participantes também ouviram com interesse os palestrantes, entre eles Terje Samuelsen-Fenn, da NTF, que é também presidente da Seção de Portuários da ETF; Torben Seebold, do ver.di e vice-presidente das seções de portuários da ETF e da ITF; e Niek Stam e Ed van der Hoek, da FNV Havens, inspetores e representantes da ITF e da ETF. Os participantes concentraram-se em dar partida em planos para desenvolver a campanha na Holanda e comunicar-se de maneira próxima com portuários de outros países que enfrentem o mesmo problema.

Niek Stam, líder do FNV Havens, declarou: ”O evento de hoje me deixa muito contente. Surgiram boas ideias desta oficina e há coisas que já podemos iniciar. A mensagem aos portuários é: ‘Vamos fortalecer os vínculos nos terminais entre quem faz a amarração, grupos de estivadores e empregadores e permitir que todos saibam que estamos lutando por nossos empregos”.

Há mais oficinas agendadas para os próximos meses em outros países europeus, notadamente a Suécia, à medida que os sindicatos se preparam para uma campanha forte e bem-sucedida. Para saber mais, acesse www.reclaimlashing.org

 

ETF e ITF encontram-se com Unifeeder

Após uma manifestação de grande comparecimento na sede da Unifeeder em dezembro último, representantes das entidades 3F (Dinamarca), ver.di (Alemanha), ETF e ITF reuniram-se com a Unifeeder em Copanhagen.

Ao término da reunião, Torben Seebold, o vice-presidente das seções de portuários da ITF e da ETF, declarou: "Compartilhamos nossos pontos de vista, que permanecem diferentes. A impressão que temos é de que a preocupação principal da Unifeeder é a de enfatizar que, como fretadora, ela não tem relação direta com os marítimos ou seus sindicatos e que, portanto, a nossa campanha deve se concentrar em outros atores da cadeia. Para nós, todas as partes estão envolvidas na redução de custos e, portanto, no manuseio não especializado. É por esse motivo que nós, em primeiro lugar, buscamos o diálogo com cada ator da cadeia. Ele concluiu dizendo que “levamos em consideração a disponibilidade da Unifeeder para se engajar num possível diálogo que envolva outras partes; enquanto isso, seguiremos com nossa campanha política e setorial e estamos determinados a obter os resultados esperados por nossos membros."

 

Conselho da União Europeia adota Norma Portuária

No dia 23 de janeiro, o Conselho da União Europeia adotou a Norma Portuária, dando fim a um processo que durou mais de três anos e meio.

"Aproveitamos a ocasião deste voto final para reiterar o que pensamos sobre a norma e a política da União Europeia em geral, o que expressamos em dezembro após a votação no Parlamento’, declarou o presidente da Seção de Portuários da ETF, Terje Samuelsen-Fenn. ‘Em particular, gostaríamos de apoiar as declarações dadas por Alemanha, Polônia, Bélgica, França e Itália antes da votação, sobre a necessidade de garantir coerência entre a Norma e outras leis, em particular com relação à revisão da Norma Geral de Isenções do Bloco", ele concluiu.

A votação pelo Conselho foi o ultimo passo do processo legislativo. A Norma será assinada pelo Conselho e pelo Parlamento em meados de fevereiro e será publicada no Diário Oficial da UE algumas semanas depois, entrando em vigor 20 dias após a sua publicação.


 

Inclua seu comentário

Todos os comentários