Pacific Breeze
Meliani Abdellah, da ITF, e tripulantes do Pacific Breeze

Tripulação do Pacific Breeze é paga e repatriada

A intervenção da ITF e da autoridade portuária argelina durante a Páscoa resultou no pagamento retroativo devido a 22 membros da tripulação do Pacific Breeze, que pertence à BSBS Ltd Moscow, antes de sua repatriação.

A tripulação russa havia solicitado a ajuda da ITF no dia 3 de abril, alegando que a operadora do navio, a belga Seatrade Reefer Chartering, não pagara os seus salários de fevereiro e março, num total de US$ 139.810,00, e planejava repatriá-los quando a embarcação chegasse ao porto de Oran, na Argélia, o que levaria dois dias.

As ligações que Mohamed Arrachedi, da coordenação da rede da ITF no Mundo Àrabe, fez à empresa ficaram sem resposta, levando a que o contato da ITF em Oran, Meliani Abdellah, visitasse o navio no dia 6 de abril para investigar a situação e prestar assistência aos marítimos, tendo feito várias visitas de acompanhamento depois disso, à medida que as negociações continuavam. A companhia concordou em pagar aos tripulantes antes de que o navio partisse de Oran, mas, em vez disso, tentou trazer a bordo uma nova tripulação, numa tentativa de desembarcar e repatriar a tripulação existente sem a quitação dos salários.

A ITF e a tripulação recorreram à autoridade portuária. A autoridade portuária entrou na embarcação, ordenou que a nova tripulação fosse alojada num hotel e proibiu o navio de navegar até que fosse feito o pagamento. Também disse à empresa para limpar a embarcação imediatamente e prover material de limpeza a bordo antes de zarpar.

Os marítimos terminaram recebendo seus salários em 12 de abril, desembarcando no dia seguinte e sendo repatriados em 14 de abril.

A esse respeito, Mr Arrachedi disse o seguinte: “Este foi o típico caso de uma empresa que tenta não pagar a sua tripulação esperando que nada aconteça. Felizmente, a tripulação voltou-se para a ITF em busca de ajuda. Agradecemos à autoridade portuária de Oran por seu apoio para que se fizesse justiça para esses trabalhadores e é bom saber que retornaram a casa em segurança”.

Para ler mais histórias em que ITF e seus inspetores  ajudam os marítimos, é só baixar o mais recente Boletim dos Marítimos.

Inclua seu comentário

Todos os comentários