Biografias de líderes e presidentes da ITF

Veja abaixo as biografias dos líderes e presidentes da ITF.

Stephen Cotton

Stephen Cotton

Stephen Cotton é o secretário geral da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) – uma federação sindical global de 700 sindicatos, representando 16 milhões de trabalhadores, em 150 países, nos setores marítimo, portuário, rodoviário, ferroviário e aeroviário. Ele foi eleito para o cargo no 43º Congresso da ITF realizado em Sofia, na Bulgária, em 2014.

Cotton se filiou à ITF em 1993 como chefe da unidade de acordos da Seção de Gente de Mar. Ele foi depois promovido a secretário assistente do Departamento Especial da Gente de Mar (SSD), secretário do SSD e coordenador marítimo antes de sua indicação como secretário geral atuante em outubro de 2012.

 

Sob a liderança de Cotton na Seção da Gente do Mar da ITF, houve conquistas significativas cujo impacto na indústria marítima foi positivo e melhorou as vidas da gente do mar. No seu mandato, a equipe de fiscais da ITF aumentou de 35 para 147 fiscais e contatos, e o número de navios cobertos por acordos coletivos da ITF aumentou de menos de 2.000 para mais de 12.000. Cotton supervisionou importantes mudanças de política com relação às Bandeiras de Conveniência (BdCs) e conduziu a introdução da política “De Oslo para Déli” e da política do “México”, que serviram de base para o marco que foi a assinatura, em 2006, da Convenção do Trabalho Marítimo da Organização Internacional do Trabalho, que estabeleceu um conjunto de padrões internacionais mínimos a serem aplicados pelo direito internacional.

Ao longo de sua carreira na ITF, Cotton trabalhou para melhorar as operações da ITF, concentrando-se em aumentar o poder dos filiados e agilizar as operações do secretariado, a fim de verdadeiramente fazer diferença nas vidas dos trabalhadores em transportes e influenciar os atores de ponta no setor de transportes. Sob a liderança de Cotton como secretário geral, a ITF se transformou numa organização proativa de realização de campanhas, permitindo à ITF e seus associados garantir contratos e protocolos de ponta na indústria, com empresas multinacionais de importância chave nos setores dos transportes, incluindo aviação, navegação e transporte rodoviário.

Em 2014, Cotton recebeu o prêmio Almirante do Mar Oceânico (AOTOS) do Serviço Unido dos Marinheiros (USS), o mais prestigiado prêmio da indústria marítima, em reconhecimento ao seu trabalho na defesa do bem-estar da gente do mar e do seu tratamento justo em todo o mundo.

Cotton é um curador do Fundo da Gente do Mar da ITF, do Fundo Internacional de Treinamento Marítimo, além de servir no comitê executivo do Serviço Unido dos Marinheiros.


Paddy Crumlin

Paddy Crumlin

Paddy Crumlin é secretário nacional do Sindicato da Gente do Mar da Austrália (MUA) desde o ano 2000 e presidente da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes desde 2010. Paddy é do comitê executivo do ACTU, é Membro Executivo da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes, Delegado da Organização Internacional do Trabalho e Curador do Fundo de Gente do Mar da ITF. Paddy está amplamente envolvido nos setores de autoridade portuária, reboque, transporte marítimo de carga, hidrocarbonetos, mergulho, cruzeiros marítimos e estiva, tanto na Austrália como internacionalmente. Ele também supervisiona os fundos de aposentadoria dos membros do MUA na condição de presidente da Maritime Super Pty Limited e assumiu o cargo de vice-presidente do Comitê dos Trabalhadores sobre o Capital (CWC) em 2015.

Além do trabalho em nível global que faz com a ITF, por mais de 15 anos Paddy também representou marítimos do mundo todo na Organização Internacional do Trabalho na discussão de convenções marítimas como delegado sênior. Nesse período, Paddy desempenhou um papel central no desenvolvimento e na ratificação, em 2006, da Convenção do Trabalho Marítimo, que é amplamente conhecida como a declaração de direitos da gente do mar, uma vez que estabelece padrões mínimos de trabalho e de vida para toda a gente do mar em navios no mundo todo. Ele desempenhou um papel chave no estabelecimento do Fórum Internacional de Navegação (IBF), que reúne a cada dois anos a ITF e os empregadores marítimos internacionais compondo o Grupo Conjunto de Negociação (JNG), resultando num grande acordo quadro que os sindicatos da ITF levam adiante em negociações com empresas de seus próprios países.


David Heindel

Dave Heindel

David Heindel tem sido o tesoureiro do Sindicato Internacional da Gente do Mar; e do Sindicato dos Marítimos das Águas Interiores, do Atlântico, do Golfo e dos Lagos desde fevereiro de 1997.

Em agosto de 2002, foi eleito vice-presidente da Federação Internacional da Seção de Gente do Mar da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF). Desde então, tem trabalhado extensivamente – tanto domesticamente como fazendo parte de delegações dos EUA em fóruns internacionais – com o departamento de Segurança Interna dos EUA, a Organização Internacional do Trabalho e a Organização Marítima Internacional, a respeito de questões de segurança a bordo das embarcações e nos portos, bem como no projeto internacional por um novo documento de identidade para a gente do mar. Ele ajudou a proteger os direitos dos marítimos sob o Código Internacional de Navios e Instalações Portuárias (que entrou em vigor em julho de 2004), e continua a liderar os delegados da ITF no Fórum Internacional de Negociação, que assegura novos acordos para dezenas de milhares de trabalhadores do mar do mundo todo.

Durante o Congresso da ITF em agosto de 2006, ele foi eleito para um mandato de quatro anos como primeiro vice-presidente da seção da gente do mar. No Congresso da ITF em agosto de 2010, ele foi eleito presidente da seção da gente do mar da ITF, tornando-se, portanto, o segundo americano a ocupar esse cargo. Ele foi reeleito no Congresso da ITF de agosto de 2014.

Heindel iniciou sua carreira no Sindicato Internacional da Gente do Mar (SIU) em 1973, quando se graduou do programa para marinheiros em nível de entrada conduzido no local de treinamento do sindicato em Piney Point, Maryland. Ele primeiramente navegou a bordo de embarcações de águas profundas como membro do departamento de maquinaria, antes de vir à costa em 1980 para trabalhar como patrulheiro em sua Nova Orleans natal. Entre as outras ocupações que teve perante o sindicato estão: patrulheiro nos escritórios do SIU em Filadélfia e Baltimore, agente portuário no escritório da Filadélfia e vice-presidente adjunto da região da costa do Golfo do SIU.

In 2015, ele foi nomeado para o Comitê de Assessoramento Trabalhista dos Estados Unidos para Negociações e Políticas de Comércio.


Øystein Aslaksen, presidente da seção de ferroviários da ITF 

Øystein Aslaksen

Øystein Aslaksen é o Secretário Internacional de seu sindicato, o Norsk Lokomotivmannsforbund, da Noruega. Antes disso, Øystein foi vice-presidente e, depois, presidente da Seção, de 1990 a 2010.  Øystein foi eleito presidente da Seção de Ferroviários na Conferência de Durban de 2003 e, como parte de sua função, ele é membro do comitê gestor do Conselho Executivo da ITF.

As atribuições de Øystein como presidente incluem lidar com os efeitos das privatizações: uma prioridade da seção de ferroviários. A privatização e liberalização tornam-se mais complexas por causa das parcerias público-privadas. Øystein também esteve à frente de seu sindicato quando houve a primeira privatização do setor na Noruega, estabelecendo convenções coletivas com as empresas privadas e mantendo a densidade sindical em 100%.

O trabalho de Oystein na Europa tem incluído enfrentar questões de condução transfronteiriça e prevenção do dumping social no setor ferroviário. Øystein é também parte do grupo dirigente de “O Nosso Transporte Público”: projeto prioritário da ITF para intensificar a adesão a sindicatos a fim de que se conquiste um modelo alternativo de transporte público com base em propriedade pública, investimento público, ocupações relacionadas ao clima e direitos empregatícios e organizacionais para trabalhadores em transportes organizados em sindicatos fortes.

O pertencimento a um sindicato é uma tradição familiar, uma vez que o pai de Oystein também trabalhou nas ferrovias. Øystein tornou-se um sindicalista atuante tão logo concluiu o ensino médio aos 18 anos de idade. 

Além de seu compromisso com o movimento global, Øystein preside o grupo de assessoria para assuntos de locomotivas da ETF. Ainda hoje, Øystein é um atuante maquinista de locomotivas que trabalha na empresa norueguesa de fretes desde 1977.


Ekaterina Yordanova, vice-presidente adjunta da ITF para mulheres

Ekaterina

Ekaterina Yordanova é presidente da Federação de Sindicatos de Transportes da Bulgária (FTTUB) e vice-presidente adjunta para as mulheres da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF). Ela divide o seu assento com Brigitta Paas, coordenadora internacional e representante da Região dos Países Baixos no Comitê Executivo da FNV. 

A senhora Yordanova também é vice-presidente da ITF e da ETF, vice-presidente do Comitê Feminino do ETUC, membro do Comitê Executivo do CITUB, e preside as comissões permanentes de transportes e de turismo, assim como está no seu terceiro mandato seguido como vereadora na Câmara dos Vereadores de Sofia.

A senhora Yordanova iniciou sua carreira como tripulante de cabine nas linhas aéreas Balkan, tornando-se depois treinadora de tripulação. Em 2002, como presidente do FTTUB, ela liderou os protestos contra a diretoria da voadora nacional que havia sido privatizada. Após a empresa pedir concordata, ela liderou ações de desobediência civil exigindo a criação de uma nova empresa aérea. A meta foi alcançada: o governo aceitou os termos dos manifestantes e criou uma nova empresa de aviação de propriedade 100% nacional, preservando todos os empregos.

Na Bulgária, a senhora Yordanova é conhecida pelo seu trabalho pela preservação e desenvolvimento do transporte público, o que inclui o trabalho de salvar a Tramcar – a fábrica de bondes de Sofia – e outras empresas de transporte público urbano de Sofia, Varna e Gabrovo. Em coordenação com líderes de outros sindicatos de transportes da Bulgária, ela ajudou a garantir a sobrevivência da empresa ferroviária nacional BDZ.


Tony Sheldon, presidente da seção de rodoviários da ITF

Tony Sheldon

Tony Sheldon é secretário nacional do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes da Austrália (TWU). Como secretário nacional do TWU, Tony esteve à frente da amplamente elogiada campanha do TWU em favor de Tarifas Seguras, na qual seu talento para a negociação foi fundamental em granjear apoio político e comunitário para a Lei da Remuneração Rodoviária Segura de 2012, legislação marco visando a melhorar a segurança e as condições na indústria do transporte rodoviário. Sob a liderança de Tony, o TWU tem conduzido campanhas pelo futuro do setor de aviação da Austrália.
 
Em 2014, Tony foi eleito presidente do Setor de Transporte Rodoviário da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes. Nesse papel, Tony continua em sua busca pelo desenvolvimento de uma indústria dos transportes segura e justa, onde os trabalhadores tenham e usem o seu poder coletivo orientados por princípios claros e fortes.

Em outubro de 2015, Tony liderou de maneira exitosa a delegação para o órgão trabalhista das Nações Unidas, a Organização Internacional do Trabalho, para assegurar apoio para um plano baseado no modelo australiano das tarifas seguras, de forma a enfrentar a remuneração injusta e insegura como causa raiz do alto índice mundial de mortalidade no transporte por caminhão.

Nascido em Caringbah, Sydney, Tony estudou no De La Salle College (Cronulla, Nova Gales do Sul) e se orgulha de ser pai de Liam e Lily. Ele concluiu seus estudos de pós-graduação em Direito do Trabalho em Nova Gales do Sul e também tem diploma do Programa Sindical da Universidade Harvard. Ele trabalhou como faxineiro, balconista e gari e sua atividade profissional sindical teve início em 1988. Entrou para o TWU na década de 1990. Foi chefe do ramo de Nova Gales do Sul do TWU de 1999 a 2008 e é secretário nacional do TWU desde 2006.
 
Tony serve como vice-presidente do Conselho Sindical Australiano, é membro do Comitê Administrativo do Partido Trabalhista Australiano (ramo de Nova Gales do Sul), membro do Comitê do TWU Super e é ex-vice-presidente sênior do Partido Trabalhista Australiano.

Inclua seu comentário

Todos os comentários