ITF reivindica libertação imediata de líder sindical iraniano doente

A ITF exige a libertação do sindicalista iraniano Reza Shahabi, em meio a séria preocupação com sua saúde.

Reza Shahabi, diretor do sindicato dos rodoviários de Teerã (Vahed Syndicate), foi preso em junho de 2010 e cumpriu seis anos de sentença. Durante esse período, ele foi submetido a cirurgias no pescoço e na coluna após ser interrogado de maneira fisicamente abusiva, tendo-lhe sida concedida licença médica para recuperar-se. Ele foi preso, novamente, em 9 de agosto de 2017.

Em nome do Vahed Syndicate, o secretário geral da ITF, Steve Cotton, escreveu para o líder da República Islâmica do Irã, aiatolá Sayed Ali Khamenei, no dia 3 de janeiro de 2018, pedindo-lhe para manter a soltura de Shahabi. Ele disse que quando o Sr. Shahabi foi novamente encarcerado, “as suas autoridades declararam toda a sua licença médica como ausência da prisão. Foi-lhe dito que ele teria que passar mais 968 dias na prisão, a despeito de sua sentença ter sido plenamente cumprida.

“Entendo que na última vez que a família de Shahabi o visitou na prisão, em 13 de dezembro de 2017, o lado esquerdo de seu rosto estava caído. Foi-lhe dito por um médico da prisão que ele havia sofrido um pequeno derrame, mas não lhe foi dado pronto atendimento e nem tratamento apropriado. Mesmo antes do derrame, os médicos já haviam recomendado que ele fosse libertado por motivos de saúde, uma vez que ele tem pressão alta, frequentes sangramentos no nariz, dores de cabeça severas e contínuas, dormência nos pés e infecção renal”.

Ele concluiu: “Como fundador da Organização Internacional do Trabalho e atual membro do conselho diretor da OIT, a República Islâmica do Irã tem o compromisso de respeitar os direitos trabalhistas. A ITF fortemente acredita que a libertação imediata e incondicional de Shahabi estaria alinhada com tais compromissos e que seria não apenas vista como um gesto positivo e humano, mas também realçaria a reputação de seu governo em nível internacional”.

Leia mais a respeito do apoio da ITF para que se intervenha no caso de Reza Shahabi, incluindo o “chamado por imediata ação da OIT” feito pela ITF e outras entidades sindicais de nível mundial em setembro de 2017, dada a ampla brutalidade aplicada sobre sindicalistas e demais trabalhadores no Irã.

Face aos constantes protestos em nível nacional e às prisões de manifestantes, em 7 de janeiro cinco organizações independentes de trabalhadores do Irã emitiram uma declaração contra a ‘sangrenta repressão e as prisões em massa de estudantes e demais manifestantes”. São elas: o Sindicato Livre dos Trabalhadores Iranianos, a Associação de Eletricistas e Metalúrgicos de Kermanshah, o Sindicato dos Pintores da Província de Alborz, o Comitê pelo Estabelecimento de Organizações de Trabalhadores do Irã, e o Centro dos Defensores dos Direitos dos Trabalhadores do Irã (Kanon Modafean). Leia mais (somente em farsi). 

 

Inclua seu comentário

Todos os comentários