Missão da ITF nos Estados Unidos desenvolve planos de ação

O secretário geral da ITF, Steve Cotton, chega aos EUA hoje à frente de uma delegação de representantes nórdicos e argentinos para reunirem-se com o sindicato Teamsters, da ITF, com a AFL-CIO (a Federação Americana de Trabalho e o Congresso das Organizações Industriais), e com a Fundação para a Contratação Justa.

A missão de seis dias foi concebida para explorar estratégias de organização e desenvolver relações estratégicas entre todas as partes. O programa intenso inclui relatórios a respeito dos mais recentes desdobramentos políticos nos EUA e na Europa e campanhas chave, além de treinamento e discussão sobre desenvolvimento de redes de ação de comunicação, organização sindical e pesquisa estratégica, seguido de uma reunião com o presidente geral do Teamsters, James Hoffa.

Vai se falar de recentes progressos feitos com relação a empresas de baixo custo, Uber e IKEA, além de se falar de campanhas em andamento com relação a UPS, DHL, XPO e Gate Gourmet. Representantes dos sindicatos também discutirão o impacto da automação na indústria do frete, assim como o seu impacto sobre os trabalhadores em transportes no mundo todo.

A delegação liderada pela ITF nos Estados Unidos inclui representantes dos sindicatos: 3F union, da Dinamarca; SEKO, da Suécia; o Sindicato Norueguês dos Trabalhadores em Transportes; o AKT, da Finlândia; e a Federação Nórdica dos Trabalhadores em Transportes, bem como o sindicato Camioneros, da Argentina.

Steve Cotton comentou: “Esta visita diz respeito a partilhar lições e recursos e a desenvolver redes para campanhas futuras. Todos os sindicatos envolvidos têm trabalhado juntos e apoiado uns aos outros em campanhas que são de importância chave para um ou mais deles, com os demais oferecendo o apoio vital para internacionalizar as lutas que cada vez mais têm uma dimensão que vai além das fronteiras. Esta semana irá consolidar essas relações e preparar para uma ação futura.”

Jan Villadsen, que está à frente da delegação nórdica, disse que se esperava que a visita levase a novos vínculos, que se construísse com base nos já existentes exemplos de solidariedade internacional, e que isso possa leva-los a níveis ainda mais altos de cooperação eficiente.

 

Inclua seu comentário

Todos os comentários