Marcante Discurso para a OMI sobre Abandono de Gente de Mar

Em 24 de abril de 2018, durante a 105ª sessão do Comitê Jurídico, no salão principal da Organização Marítima Internacional (OMI), uma delegação da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes fez uma apresentação a respeito dos repetidos casos de abandono de gente de mar que constam da mais recente análise do banco de dados de OIT/OIM e os seus desdobramentos.

O título da apresentação foi "O Custo Humano do Abandono".

Sabe-se que uma vasta quantidade de gente de mar em âmbito nacional e internacional é vítima de abandono. A ITF tem trabalhado para resolver a questão, pondo foco em áreas como repatriação, salários não pagos, e suprimentos fundamentais para a gente de mar abandonada. Agências das Nações Unidas, governos nacionais, organizações internacionais, empresas de navegação, proprietários de embarcações e agências de mão de obra: é preciso o envolvimento de todos.

O representante da ITF na OMI, Branko Berlan, salientou o progresso feito na abordagem dessas questões junto à OMI: "Essa foi a primeira vez que uma apresentação a respeito do abandono da gente de mar foi feita durante uma reunião de Comitê da OMI. Consequentemente, a apresentação e o trabalho em andamento da ITF em prol da gente de mar foram altamente apreciados pelas organizações e estados membros. Nós enfatizamos a alta importância dos direitos e do bem-estar da gente de mar, encorajando a OMI, seus estados membros e as organizações que a integram a cumprirem suas obrigações e a demonstrar sua solidariedade de maneira ativa". 

A ITF, como a organização que é líder na representação da gente de mar, agradeceu enfaticamente pela oportunidade que lhe foi dada pela OMI. Tanto durante como depois da apresentação, várias delegações perguntaram a respeito de detalhes procedimentais concernentes a casos em andamento. Ademais, muitos outros delegados aludiram ao importante papel desempenhado pela cooperação de governos com outras entidades, demonstrando uma disposição genuína em colaborar com a ITF.

 

Inclua seu comentário

Todos os comentários