Passageiros e trabalhadores do metrô de Washington disseram aos participantes o que querem do transporte público

Sindicatos constroem política de transporte global

Sindicatos da ITF que participam do programa Nosso Transporte Público (NTP) estabeleceram a base de uma política alternativa de transporte público que funcione para os trabalhadores bem como para os passageiros.

Grupos de sindicatos e de passageiros reuniram-se em Washington DC, nos Estados Unidos, e começaram a criar uma política de transporte público que desafie o status quo dos serviços privatizados e desregulados que negam acesso a milhões ao redor do mundo.

O programa extrairá ideias de passageiros e trabalhadores ao redor do mundo, a fim de fazer uma plataforma de campanha que reflita suas vozes e experiências.

O grupo ouviu dos passageiros e trabalhadores do metrô e dos ônibus de Washington DC, que apresentaram vídeos a respeito de como querem que seja gerido o transporte público.

Um gerente de estação do metro de Washington DC disse na reunião: "Amo meu trabalho, mas a empresa tem uma percepção de que não fazemos nada e que poderíamos ser substituídos por uma máquina. Na verdade, temos que lidar com milhares de clientes todos os dias".

"Lidar com passageiros e seus problemas é o mais importante e não há máquina que possa prover o mesmo nível de serviço. Quero que a empresa respeite os trabalhadores e entenda o trabalho que fazemos".

A líder do programa NTP, Alana Dave, declarou que o programa NTP está retomando a ideia de transporte público para a maioria. Ela diz que o transporte deveria beneficiar a sociedade como um todo, mais do que os lucros de uns poucos.

Ela acredita que o bom transporte público numa cidade é tão essencial quanto água e esgoto. Ela concluiu que os direitos dos trabalhadores estão no cerne disto e que, ao trabalhar com os passageiros para definir tal política, a ITF pode criar uma forte coalizão.

Ativistas de catorze sindicatos estiveram na reunião em Washington DC. Eles também analisaram as políticas de transporte público do Banco Mundial, discutiram colocar o gênero no centro de seu trabalho, compartilharam ideias sobre fazer alianças e se propuseram a fortalecer redes nas empresas multinacionais.

As ideias e a visão para a política serão apresentadas a todos os sindicatos de transporte urbano da ITF em reunião no ano que vem, e lançadas no Congresso da ITF em 2018.

Para saber mais, busque #OurPublicTransport nas mídias sociais e vá para www.ourpublictransport.org.

Inclua seu comentário

Todos os comentários